Ventilação Mecânica em cirurgias

Se você assistisse a uma cirurgia de transplante de pulmão ou a uma autópsia,
veria que os pulmões esvaziam quando são retirados da cavidade torácica. Se
você olhar de perto, também notará que a parede torácica aumenta de volume
quando os pulmões são removidos. Isso ocorre porque os pulmões isolados e a
parede torácica têm seus próprios volumes de repouso ou de equilíbrio. Qualquer
mudança nesses volumes requer uma quantidade crescente de pressão
aplicada. Então, se você pensar bem, os pulmões e a parede torácica agem
como molas de metal. Quanto mais eles são esticados ou comprimidos, maior a
quantidade de pressão necessária para superar seu recuo elástico inerente.
Quando separados um do outro, os pulmões recuam para dentro e a parede
torácica se expande para fora para atingir seus volumes de equilíbrio individuais
(setas de dupla face). Qualquer alteração desses volumes requer uma
quantidade crescente de pressão aplicada para equilibrar o aumento da retração
elástica interna ou externa (setas). Desta forma, os pulmões e a parede torácica
agem como molas de metal.
A retração elástica dos pulmões e da parede torácica tem duas origens:
• As forças teciduais resultam do estiramento dos chamados elementos elásticos
— elastina e colágeno nos pulmões e cartilagem, osso e músculo na parede
torácica.
• As forças de superfície são exclusivas dos pulmões e resultam da tensão
superficial gerada pela camada de surfactante que reveste o interior de cada
alvéolo. O que e ventilacao mecanica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.